Murici | AL
29° máx / 21° min
Um ou dois aguaceiros breves

notícias / alagoas

Compartilhe
Por Gazetaweb     |     28.04.2018 - 20H17
Collor acompanha cúpula na Coreia e diz acreditar na paz entre os países
Collor acompanha cúpula na Coreia e diz acreditar na paz entre os países
Como presidente da CRE, parlamentar tem tido uma intensa agenda para fortalecer a presença do Brasil Por Gazetaweb | com assessoria 28/04/2018 09h37 - Atualizada às 28/04/2018 10h18 Collor acompanha cúpula na Coreia e diz acreditar na paz entre os países FOTO: Divulgação O mundo viu com bastante otimismo a histórica cúpula entre as Coreias realizada nesta sexta-feira (27). Como representante do Senado Federal, o presidente da Comissão de Relações Exteriores (CRE), senador Fernando Collor de Mello (PTC/AL) acompanhou as tratativas diplomáticas entre os países e afirmou que este é um grande passo na consolidação da paz na região. O senador Pedro Chaves ( PRB/MS) acompanhou Collor durante a agenda na Coreia. Collor vem cumprindo missões internacionais, inclusive como convidado oficial, para aproximar os parlamentos estrangeiros das ações desenvolvidas pela CRE. Sobre a cúpula entre as Coreias, o parlamentar brasileiro enxerga com otimismo os próximos passos da relação entre os líderes, já que o mundo aguarda por isso há muito tempo. Em recente conferência, como convidado da Academia do Reino do Marrocos, o senador referiu-se ao papel de "soft Power" que o Brasil deve exercer nas relações internacionais, a exemplo da atuação que o país pode desempenhar para consolidar o BRICS, melhor representando a América do Sul no jogo do poder entre as potências globais. "Este encontro na Coreia abriu o caminho para a negociação de um tratado de paz entre os países. Desde 1953 que o mundo convive com esse tensionamento. Podemos agora estar retomando ao marco das primeiras tratativas, com uma chance real à paz duradoura. Os líderes coreanos, Kim e Moon apertaram as mãos na fronteira, antes da bem-sucedida e histórica reunião de cúpula", contou Collor. Durante o encontro, o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, comprometeram-se a assinar um acordo de paz para acabar com a guerra entre os países ainda neste ano. O pacto vai substituir o armistício de 1953. Essa guerra foi interrompida por cessar-fogo, mas nunca teve fim oficial. Líderes também concordaram em trabalhar pela completa desnuclearização da península. A declaração conjunta ocorreu durante encontro histórico em Panmunjon, zona desmilitarizada entre os dois países. Em Pyongyang, Collor visitiou o plenário da Assembleia Suprema, o Parlamento da Coreia do Norte, com 687 integrantes. À oportunidade, ele manteve audiência com Na Tong Chun, vice-presidente da Assembleia, no exercício da Presidência, visando estreitar o intercâmbio entre a Comissão de Relações Exteriores do Senado brasileiro e o Parlamento coreano.