Murici | AL
29° máx / 21° min
Um ou dois aguaceiros breves

notícias / alagoas

Compartilhe
Por Gazetaweb     |     30.10.2018 - 17H37
Mulher é presa ao tentar sequestrar recém-nascido no Hospital Universitário

 


Jaiane dos Santos Silva, de 19 anos, foi presa na tarde desta terça-feira (30) pela Polícia Militar ao tentar sequestrar um recém-nascido da maternidade do Hospital Universitário (HU), em Maceió. Testemunhas apontam que ela se passou por funcionária e informou aos pais do bebê que realizaria exames na criança.

Desconfiando da atitude da suposta funcionária, o pai da criança a seguiu pelos corredores da unidade hospitalar e, quando ela se preparava para sair do hospital, ele acionou os seguranças. A direção do hospital mobilizou as Polícias Militar e Federal.

Ainda segundo a polícia, uma segunda mulher suspeita, que também teria participado da tentativa de sequestro, conseguiu fugir, mas as equipes policiais estão nas ruas tentando localizá-la. A mulher presa foi encaminhada para a Central de Flagrantes.

O bebê que seria sequestrado nasceu no último sábado. Os pais da criança são da cidade de Messias, no interior de Alagoas. Em depoimento, a suspeita relatou aos agentes da Polícia Civil que tem problemas mentais. Ela não confirmou a tentativa de sequestro do bebê e relatou que estava no hospital para uma consulta de sua filha.

Em nota enviada à imprensa, a assessoria do Hospital Universitário Professor Alberto Antunes confirmou a tentativa de sequestro de bebê nascido na Maternidade do Hospital e que, segundo relatos do pai e de um dos profissionais de enfermagem, a suspeita foi abordada já com a criança nos braços, tentando deixar o 2º andar do Hospital, onde funciona o serviço de Maternidade do HU.

"A suspeita alegou ser a mãe da criança e que o bebê teria nascido em uma maternidade da parte baixa da cidade e informou que não estava em posse de certidão de nascimento da criança.A segurança foi acionada e encaminhou a suspeita à Superintendência para levantar as primeiras informações sobre o caso. De acordo com dados obtidos por meio de sistema, a mulher pariu no ano passado, descartando assim a possibilidade do bebê ser seu filho", finaliza a nota.