Murici | AL
29° máx / 21° min
Um ou dois aguaceiros breves

notícias / alagoas

Compartilhe
Por Gazetaweb     |     10.11.2018 - 16H02
Policiais envolvidos em operação com 11 mortos serão homenageados no dia 22



A Ordem dos Policiais do Brasil, seccional Alagoas, (OPB/AL) aprovou nessa sexta-feira (9) a concessão da Medalha de Honra ao Mérito Policial aos integrantes da equipe Policial Civil de Alagoas (PC/AL) que participaram da Operação Cavalo de Tróia, deflagrada na quinta-feira (8), na cidade Santana do Ipanema, no Sertão de Alagoas. Na ação policial, 11 suspeitos de assaltos a bancos na região Nordeste morreram. A entrega da honraria está marcada para o dia 22 deste mês.

Na visão da ordem, os criminosos, que neste caso são assaltantes de bancos, constituem uma das modalidades mais perigosas atuando na região Nordeste contra a paz social. "Com armas de grosso calibre, tais como, fuzis, espingardas calibre 12, pistolas e granadas, eles atuam como facínoras e sanguinários em suas ações criminosas, responsáveis por dezenas de crimes e assassinatos".

Para a entidade, a ação heroica dos policiais civis envolvidos na operação no Sertão alagoano é digna de elogios e de honras. "São uns verdadeiros heróis da sociedade alagoana e brasileira. Não aceitamos represálias ao corpo de Segurança Pública envolvido. A ação policial, diante a dificuldade enfrentada, foi eficaz e inteligente ao neutralizar a ameaça real à sociedade e ao corpo de Segurança Pública"

"Diante o feito, a Ordem dos Policiais do Brasil, entidade que congrega mais de 11 categorias profissionais da Segurança Pública, vem conceder na forma de seu estatuto, a Medalha de Honra ao Mérito Policial aos integrantes da Equipe Policial Civil que participaram da Operação Cavalo de Tróia", diz o trecho final do comunicado enviado à imprensa pela assessoria pela a OPB/AL

A honraria foi aprovada pelos conselheiros federais da entidade em Alagoas, o agente da Policial Federal Flávio Moreno, que foi candidato a senador e coordenou a campanha de Bolsonaro em Alagoas, e o Cabo Bebeto, deputado estadual eleito.

Mais apoio

A operação da Polícia Civil que resultou na morte de 11 assaltantes de bancos no interior de Alagoas recebeu o apoio de mais uma entidade. A Associação dos Delegados de Polícia de Alagoas (Adepol/AL) emitiu nota sobre o caso, onde afirma que "se coloca ao lado e apoia publicamente os competentes delegados de Polícia Civil Fábio Costa, Thiago Prado e Cayo Rodrigues, que comandaram as ações ocorridas no dia 8/11/2018 na Zona Rural do Município de Santana do Ipanema".

Na nota encaminhada à imprensa, a Adepol afirma que os policiais e delegados tiveram uma atuação firme contra o que passou a ficar conhecido como "novo cangaço" no interior de Alagoas. Confira a nota da associação abaixo:

"A ADEPOL/AL- Associação dos Delegados de Polícia de Alagoas vem a público se colocar ao lado e apoiar publicamente os competentes delegados de polícia civil Fábio Costa, Thiago Prado e Cayo Rodrigues que comandaram as ações ocorridas no dia 8/11/2018 na Zona Rural do Município de Santana do Ipanema, Al., onde os policiais civis da Divisão de Investigação e Capturas do Estado de Alagoas - DEIC/PCAL, sob a coordenação destes, em cumprimento aos atos necessários da operação da polícia civil denominada Cavalo de Troia, desbarataram e reagiram a injusta agressão perpetrada por bandidos componentes de uma organização criminosa pertencente ao que passou-se a denominar de "novo cangaço".

Os policiais civis e os delegados de polícia civil agiram em defesa da lei e da sociedade, no estrito cumprimento do dever legal e em defesa também da preservação das suas próprias vidas, uma vez que foram, como esclareceram, recebidos pelos criminosos a tiros e com armamento de grosso calibre, não tendo ocorrido excessos, o que com certeza será constatado pelos órgãos de investigação já acionados como determina a lei, para que haja sempre transparência nas ações policiais.

O Estado e a Sociedade não podem ser reféns de organizações criminosas como esta, devendo sempre as polícias agirem dentro da legalidade com a autoridade que sua obrigação constitucional lhes impõe.

Ressalta-se por fim que os três delegados acima mencionados são profissionais de reconhecida capacidade, seriedade e profissionalismo, contando com vários anos de experiência na atividade policial e  não lhes recaindo nenhuma mancha no desempenho de suas funções.

A ADEPOL/AL está atenta e agirá sempre em defesa das prerrogativas e direitos dos delegados de polícia civil do Estado de Alagoas e da sociedade alagoana".