Murici | AL
29° máx / 21° min
Um ou dois aguaceiros breves

notícias / alagoas

Compartilhe
Por Gazetaweb     |     29.12.2018 - 06H35
Eletrobras Alagoas é arrematada em leilão por preço simbólico de R$ 50 mil



A Eletrobras Distribuição Alagoas foi arrematada pela proponente Equatorial Energia após lance único oferecido em leilão realizado na tarde desta sexta-feira (28) na sede da B3, antiga Bolsa de Valores de São Paulo, pelo preço simbólico de R$ 50 mil.

A distribuidora foi a última das seis pertencentes à Eletrobras a serem leiloadas e, agora, passa a fazer parte do grupo de empresas estatais privatizadas durante o Governo Temer.

No lance, a Equatorial Energia apresentou proposta de índice de deságio zero, o que significa que a empresa concordou com o lance inicial apresentado, não sugerindo aumento nem desconto do mesmo.

Os participantes já haviam sido informados anteriormente pelos realizadores do leilão de que propostas com valor inferior aos R$ 50 mil seriam desconsideradas. A cerimônia de "batida do martelo" contou com a presença do ministro de Minas e Energia, Wellington Moreira Franco; do presidente da Eletrobras Wilson Ferreira Junior; e de representantes da comissão de licitação e da empresa vencedora.

A Ceal atende aos 102 municípios alagoanos, o que compreende um total de mais de 1 milhão de consumidores. Assim como no caso das outras distribuidoras da Eletrobras leiloadas anteriormente, a ideia de privatização enfrentou rejeição de órgãos representativos dos trabalhadores e chegou a ser discutida no Supremo Tribunal Federal (STF), com o leilão tendo sido paralisado após liminar expedida pelo órgão.

A decisão só foi publicada no Diário Oficial da União no dia 30 de novembro e reaberta depois de o ministro Ricardo Lewandowski revogar a liminar. O evento havia sido programado para acontecer no último dia 19, mas foi adiado para esta sexta, último dia útil do ano.

Ao todo, foram privatizadas seis empresas: Ceal, Ceron, Amazonas Energia, Boa Vista, Eletroacre e Cepisa. A Eletrobras havia informado, anteriormente, que, caso as empresas não fossem vendidas, teriam as suas operações encerradas. A Proponente Equatorial, além de ser agora a proprietária da Ceal, também arrematou, em julho, o controle da Eletrobras no Piauí.